Aprendizagem & Inovação

O Ensino Técnico integrado ao ensino médio, característica principal dos Institutos Federais de Educação, tem o desafio de trabalhar com adolescentes que chegam do ensino fundamental com muitas deficiências de aprendizagem e poucos conhecimentos de base como português e matemática. Este cenário dificulta o trabalho pedagógico nas áreas de Matemática e Física junto aos alunos que ingressam nos Cursos Técnicos e Tecnológicos. Assim, usando métodos de mobile learning (M-Learning), experimentou-se desenvolver um aplicativo para auxiliar a aprendizagem da Matemática com Números Complexos e sua aplicação em Análise de Circuitos Elétricos em Corrente Alternada.

O sistema hidropônico fotovoltaico, desenvolvido pelas estudantes do curso de Eletrônica do Campus Maceió do Instituto Federal de Alagoas (Ifal),Vanessa Pontes da Silva, Joyce Barbosa, Jéssica de Oliveira e Dhandara Lucymilla, sob orientação do professor Alberto de Almeida, foi exposto nesta quinta-feira (18), no Corredor da Inovação do Caiite 2015.  Premiado na última edição da Feira Brasileira de Ciência e Tecnologia (Febrace) da Universidade de São Paulo (USP), o sistema tem como objetivo otimizar a produção de alimentos através do cultivo de hidroponia (técnica de cultivar plantas sem solo) e do uso da energia solar.  O estudo foi iniciado em 2013 e faz parte de um convênio entre o Ifal e a Petrobras. O diferencial do projeto é a captação da energia solar para automatizar o sistema responsável por nutrir a planta.  A aluna Vanessa da Silva explicou que a inspiração para criar o equipamento foi transformar as situações adversas de regiões carentes em oportunidades. “Com esse sistema, comunidades que sofrem com a estiagem e solos inférteis poderão produzir uma grande variedade de alimentos, inclusive em escala comercial”, destacou.  O processo desenvolvido pelas estudantes proporciona um cultivo de baixo custo, com a utilização de garrafas PET’s recicladas e palha de arroz carbonizado como substrato, sem a necessidade do uso de terra. Ideal para localidades remotas que apresentam solo com pouca fertilidade e escassez de água. “A planta recebe tudo o que precisa e, em um círculo contínuo de aproveitamento, o líquido que a nutre retorna para o primeiro recipiente. Desse modo, nada se perde”, esclarece Joyce Barbosa.  Entre as tantas vantagens desse tipo de cultivo, destacam-se o uso racional da água e a ausência de agrotóxicos, uma vez que a planta é regada pela raiz, e não por cima, o que reduz o surgimento de ambiente propício a pragas.  Corredor da Inovação  Amanhã, sexta-feira (19), o público do Caiite vai poder conferir no estande do Ifal o projeto “Protótipo de um aplicativo de jogo da forca para pessoas com autismo”, de autoria da professora do Ifal Maceió, Mônica Ximenes, e dos estudantes Paulo Nery e Roberto Lima.

Cenário de Uso

Segundo Marcelo de Assis Corrêa, idealizador desta experiência, este aplicativo pretende ser uma ferramenta de simulação no campo da matemática auxiliando a aprendizagem na conversão de Números Complexos em notação Retangular e Polar, além de simular também a aplicação em circuitos de corrente alternada, com ensaio virtual de cargas.
Segundo Dirksen, autor do livro Design for How People Learn "o uso de tecnologia móvel pode contribuir significativamente para aprendizagem". Assim, considerando o perfil dos alunos,caracterizado por adolescentes que já possuem domínio sobre as tecnologias mais acessíveis para smartphones e tablets, e que surgiu o apllicativo Accomplex, pensado e desenvolvido como um objeto de aprendizagem.
As contribuições pedagógica foram perceptíveis nestes dois últimos semestres (2014-2 e 2015-1) onde se constatou um aumento do interesse e da participação dos alunos nas discussões realizadas em sala de aula, bem como o número de sugestões e defeitos que foram corrigidos ainda na versão Beta.
Hoje o aplicativo serve de desafio para alguns alunos que se engajam ao desenvolvimento do App. A estratégia pedagógica atual é estimular os alunos a desenvolverem novas funcionalidades ao aplicativo, utilizando o espaço do LABTECA dentro da Metodologia I.D.E.I.A para ampliar as possibilidades de aprendizagem dos mesmos.
Atualmente o aplicativo está com sua versão Beta aplicada aos Cursos Técnicos de Eletrotécnica e Eletrônica do IFAL–Campus Maceió, apresentando bons resultados na melhora do processo de aprendizagem. O que se pode observar foi o uso efetivo por parte dos alunos quanto ao aplicativo, o que já denota um avanço na aprendizagem pois as simulações servem de exercícios de fixação sobre o tema trabalhado em sala de aula.
Um mini-curso de programação utilizando o ambiente MIT AppInventor, foi realizado para estimular uma maior participação dos alunos, buscando formar um ambiente de colaboração para aprimoramento e manutenção do código, uma vez que se pretende deixar o código aberto, licenciado em Cretive Comons.
Por Marcelo A. Corrêa em 16/06/2015

Vizualizações
Aprendizagem & Inovação
Ecolabore
Acione aqui para abrir o balão do assistente.